Discover millions of ebooks, audiobooks, and so much more with a free trial

Only $11.99/month after trial. Cancel anytime.

O Vento Que Na Janela Soprava
O Vento Que Na Janela Soprava
O Vento Que Na Janela Soprava
Ebook101 pages38 minutes

O Vento Que Na Janela Soprava

Rating: 0 out of 5 stars

()

Read preview

About this ebook

28º livro do autor de: 1. OS OCEANOS ENTRE NÓS 2. PÁSSARO APEDREJADO 3. CABRÁLIA 4. NUNCA TE VI, MAS NUNCA TE ESQUECI 5. SOB O OLHAR DE NETUNO 6. O TEMPO QUE SE FOI DE REPENTE 7. MEMÓRIAS DE UM FUTURO ESQUECIDO 8. ATÉ A ÚLTIMA GOTA DE SANGUE 9. EROTIQUE 10. ATÉ QUE A ÚLTIMA ESTRELA SE APAGUE 11. NÃO ME LEMBREI DE ESQUECER DE VOCÊ 12. EROTIQUE 2 13. A CHUVA QUE A NOITE NÃO VIU 14. A IMENSIDÃO DE SUA AUSÊNCIA 15. SIMÉTRICAS 16. AS VEREDAS ONDE O MEU OLHAR SE PERDEU 17. A MAGIA QUE SE DESFEZ NA NOITE 18. QUAL É O SEGREDO PARA VIVER SEM VOCÊ? 19. OS TRAÇOS DE VOCÊ 20. STRADIVARIUS 21. OS SEGREDOS QUE ESCONDES NO OLHAR 22. ATÉ SECAREM AS ÚLTIMAS LÁGRIMAS 23. EROTIQUE 3 24. OS POEMAS QUE JAMAIS ESCREVI 25. TUA AUSÊNCIA, QUE ME DÓI TANTO 26. OS DRAGÕES QUE NOS SEPARAM 27. A NOITE QUE NÃO TERMINOU NUNCA MAIS Algumas amostras: “Deixo aqui este último relato, que enviarei pelo transmissor, / E provavelmente levará anos para chegar ao seu destino, / Afastem-se desse planeta, pois nele habita o puro horror, / Não voltem aqui nunca mais, pois este é um mundo assassino!” “Confesse, mesmo que não seja verdade, / O quanto meus poemas em você penetraram, / Como meu lirismo o seu vazio invade, / E seus lábios sentem falta dos meus, que nunca beijaram!” “Este será o nosso legado, um mundo extinto, / Num braço perdido dessa Galáxia obscura, / Um Sol amarelo, para sempre de sangue tinto, / Olhando pela eternidade para esse mundo sem cura!” “Onde foi que você se ocultou / Dessa febre que em você ardia? / Quando foi que você se curou / Da paixão que em sua fala se ouvia?” “Entre riachos de águas correntes / E geladas, / Talvez enfim te decidas / A dar-me beijos ardentes, / Tórridos, incandescentes, / E depois de nos beijarmos, / Liberar-me o teu corpo lindo, / Infindo, / E por horas nos amarmos, / Enquanto a tarde desce / E o teu desejo cresce, / Talvez / Na primeira vez / Em que assim me encantas, / Entre outras tantas,” “Por que você não repara / Nos versos profanos / Que em meu olhar flutuam? / Por que você não mascara / Que faço parte dos planos / Que em seu olhar se insinuam?” “Mesmo se acaso eu quisesse, / Como sufocar esse mar de versos, / Como evitar que a ti eu confesse / Esse amor que transcende Universos?” “Ou será apenas uma ilusão de ótica, / Será alguém que com você se parece, / Mas não tem estrelas no olhar? / Ou será uma lembrança hipnótica / Que o cair da noite fria me tece, / E faz-me de novo sonhar?” “O que foi isto que senti quando você me tocou? / Que espécie de momento sublime foi alcançado, / Quando cada um de meus pelos se arrepiou, / Como se um anjo me houvesse tocado?” “Quando eu morrer, ao fim dessas estradas, / Não me enterrem num cemitério qualquer, / Mas sim ao lado dela, / Se possível no mesmo caixão! / Deixem nossas mãos entrelaçadas, / Para que não fique, por um momento sequer, / Sem sentir sua presença, na mesma cela / Onde nos reuniu a Escuridão...” “Quando foi que começou esse desencontro / E a desilusão acampou lá fora? / Quando a tristeza veio ao nosso encontro / E depois nunca mais foi embora?” “Hoje, eu me peguei pensando em você, / Depois de tanto tempo que a tinha esquecido, / Chegou de repente, não sei o porquê, / Essa lembrança de um passado perdido...” “Sua ausência tem me doído tanto / E trazido uma saudade que não engulo / Preenchendo de tristeza cada canto / Por onde solitário e triste perambulo” “Esse seu silêncio me perturba / Mais do que se gritasse comigo / Mais do que se houvesse uma turba / Tentando invadir o meu abrigo” “E se amanhã eu me tornar triste, / E levar toda a sua alegria embora? / E se o bandido vier com a faca em riste, / Ou se o inverno chegar fora de hora?” “Maldito relógio, bata mais devagar, / Ou apenas pare de bater, / Pois, assim que a manhã nos alcançar, / Minha amada irá ascender. / A vida não t
LanguagePortuguês
Release dateNov 3, 2017
O Vento Que Na Janela Soprava

Read more from Marcos Avelino Martins

Related to O Vento Que Na Janela Soprava

Related ebooks